quinta-feira, 4 de março de 2010

Pra não dizer que nçao falei de flores...

Prosseguindo com as escassas atualizações do blog, ainda não tenho nenhum novo conteúdo (seja literário, conceitual etc) para postar, mas me vejo no dever de ao menos explicar minha ausência (que agora está sendo, mesmo que de leve, suprida) nos blogs alheios.
Pois bem, fiz a prova, mas não deu. Não passei, apesar do estudo e do sacrifício. Mas para ser bem sincero, eu achei mesmo que não seria esse ano. Que bom que ano que vem tem mais, então. Posso fazer a prova de novo, me preparar melhor, e entreter o consul devidamente (sequer me chamaram pra essa parte; nem pude demonstrar meus dotes, por assim dizer...). Mas sem brincadeiras, fiquei um pouco chateado (saí pra afogar as mágoas com amigos), mas não era algo inesperado. Acho que isso ensina duas coisas (ou mais, dependendo de quem interpretar e de que forma): a primeira é que todos vamos falhar eventualmente, ou ver nossos planos darem errado. A segunda é que, nem por isso, precisamos de desistir dos nossos sonhos. Perdão pelo conteúdo meio melodramático, não costumo ser assim, mas acho que temos que pensar positivo. Algo meio Poliana (polianóide, como diria uma amiga minha). De resto, volta às aulas semana que vem, e volta aos escritos também. E aos comentários, claro. Enquanto isso, fiquem com o meu amigo Tom Sawyer:



10 comentários:

adri disse...

Sim, meu amigo, essa é uma das lições mais amargas, mas mais importantes: não é porque não conseguimos o que queríamos que temos de jogar fora nossos sonhos. TODOS falhamos, e isso é uma baita verdade.

Isso sempre dói mais, claro, quando foi algo pelo qual nos esforçamos pra caramba, como vi que te esforçaste. Mas c'est la vie, não adianta. Tem dias que ganhamos e dias que perdemos. O que importa, como diria o grande Rocky Balboa "não é o quão forte vc bate, mas o quão forte apanha e continua levantando".

Que bom que consegui te passar um pouco dessa minha veia polianoide =)

bjs

Marília Maia disse...

"a primeira é que todos vamos falhar eventualmente, ou ver nossos planos darem errado. A segunda é que, nem por isso, precisamos de desistir dos nossos sonhos."

Penso nisso como uma experiência positiva. Se seus planos não deram certo agora, deve ser porque o que lhe espera mais pela frente, deverá ser bem melhor... Não descarte os seus planos por inteiro, analise em qual ponto o negócio não deu certo. E veja qual a melhor forma de fazer diferente, para seus sonhos que estavam incluidos nos seus planos virem a dar certo. Planeje, com a plena consciência que planos estão no campo das possibilidades e não certezas.

Ok!
;)

Jéssica de Sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jéssica de Sousa disse...

Mehazael, lá no meu texto, você disse que não entendeu muito bem porque hora eu uso a primeira pessoa, hora a terceira. Mas, na verdade, é de propósito, porque é (ou era pra ser) um monólogo, então hora "eu" falo, hora "outro eu" fala de mim mesma, na terceira pessoa =D

CA Ribeiro Neto disse...

Marcelo, próximo ano você conversa com o Consul e aproveita para comentar sobre o Blog's de Quinta! heruehruehurhureuh

Infelizmente meus conhecimentos de música internacional são bem limitados, e não conheço a banda que apresentou, mas pensei que, pelo título, teria alguma coisa haver com Geraldo Vandré! hehehehe

Abraço

Gi disse...

Polyana!!! Eu adorei os dois livros dela!!!

Bom, pelo menos vc naõ pagou um preço absurdo pelo teste...

mas o importante é isso, é não desanimar para encarar o próximo!! ^^

bem vindo de volta! gosto muito dos seus textos!!

Marina disse...

A gente está sempre sujeito a falhas. Não vamos te julgar pelo texto dramático. Acho que todo mundo sentiu isso alguma vez.

Gi disse...

e nossa, esqueci de comentar..

uma das melhores do Rush! deu até saudades da época em que ouvia música... rs

Paulo Henrique Passos disse...

"Marcelo, próximo ano você conversa com o Consul e aproveita para comentar sobre o Blog's de Quinta!" ahahahaha Esse Carlin é osso!!, se bem que não é uma má ideia.

E é isso mesmo que o pessoal falou, é a mesma coisa que eu penso, de num desanimar muito - só um pouquim, que é natural - mais daí já recomeçar.

Thiago César disse...

vixe cara, foda hein... boa sorte na proxima vez... me fez lembrar a epoca q eu fiz vestibular, qnd nao passei na primeira vez, soh na segunda vez q tentei... eh a vida!